sexta-feira, 20 de março de 2009

Dieta e Cárie - Entrevista com o Odontólogo Ramssés Silva


Primeiramente queria agredecer ao odontólogo Ramssés Silva por ter concedido seu tempo, para responder as perguntas mandado pelo leitor! E Obrigado a todos por mandarem suas perguntas. Segue abaixo a entrevista:

Carlos - Gostaria de saber a respeito de pontes fixas, se há risco de que venham a "cair" e se elas têm um tempo de vida útil. Também gostaria de saber se o açúcar mascavo e os adoçantes artificiais têm algum impacto sobre os dentes.

RAMSSÉS:

Sim, existe o risco de que as Próteses Fixas venham a ser mal sucedidas. Isto decorre de diversos fatores, tais como: técnica inadequada no preparo dos dentes envolvidos, técnica inadequada na confecção da prótese, erro na moldagem dos dentes, falta de ajuste de mordida na prótese já cimentada (prótese muito alta ou sem acabamento satisfatório), carga excessiva sobre a prótese (acima da capacidade da prótese; lembre-se, prótese nunca terá a mesma resistência de um dente natural). Porém, se o mínimo de técnica e critério corretos forem utilizados, as próteses fixas são definitivas;

O açúcar mascavo também é um sacarídeo, portanto, também de fácil metabolização pelas bactérias causadoras da cárie. O seu uso como substituto ao açúcar comum (cristal) não implicará em diminuição do risco da doença. Já os adoçantes não são utilizados pelas bactérias da mesma forma que outros carboidratos mais complexos, implicando sim, neste caso, numa diminuição do risco. Mas, como todos nós sabemos, são diversos os fatores que influenciam no aparecimento da doença (doença multifatorial) e, a simples utilização do adoçante não significa diminuição do risco se o paciente não higienizar adequadamente, por exemplo.


Ralf Raniel - Existem quantidades especificas na quantidade de açúcar na alimentação ou outro alimento que venha a causar cárie ou a simples presença já é possível o surgimento?

RAMSSÉS:

Costumamos dizer que uma tríade é responsável pelo surgimento da cárie (além dos fatores agravantes, é claro): a presença do órgão dentário onde a bactéria irá se fixar (dente), a presença da bactéria cariogênica e a presença do substrato (carboidrato) fonte de alimento à fermentação bacteriana. A simples presença de carboidrato metabolizável por estas bactérias colonizadoras e para a sua fermentação lática será suficiente para o início do processo carioso, claro, sem esquecer os outros fatores que atuarão em conjunto para o surgimento da doença.

Sophia - Fio dental diminui os riscos?

RAMSSÉS:

Sim. A remoção mecânica do substrato irá diminuir a oferta de alimento às bactérias diminuindo, também, o risco da doença. Mas a utilização exclusiva do fio dental não será suficiente para evitar seu surgimento.

Édna - Não costumo escovar os dentes após uma refeição, porém eu sempre faço bochechos com água, isso ajuda a prevenir?

RAMSSÉS:

É aconselhável que SEMPRE se faça a escovação após as refeições, evitando que substrato fique acumulado na cavidade bucal, servindo de fonte alimentar aos microorganismos causadores da doença. O bochecho com água ou enxágue bucal conseguirá remover alguns resíduos e também algumas bactérias, é verdade, mas não será suficiente para remover substrato de locais onde somente a escova e o fio dental podem alcançar. Não ajuda a prevenir, no fim das contas.

Patricia - Quanto a crianças com dente de leite, elas são mais ou menos suscetíveis a ter cárie?

RAMSSÉS:

Tão suscetíveis quanto os adultos. Agora, os dentes permanentes possuem, em sua composição, uma quantidade de minerais maior do que os dentes decíduos, o que pode implicar em uma maior resistência destes ao processo carioso. Mas é importante ressaltar que a cárie é uma doença multifatorial e a resistência do hospedeiro, além de todos aqueles fatores predisponentes e agravantes já citados, também tem que ser levada em consideração. Pela Literatura existente, posso te afirmar com toda certeza que o fator de maior influência é mesmo a dieta rica em carboidratos.


Márcio - A cárie está relacionada ao tipo de carboidrato? Por exemplo se eu ingerir arroz e pães integrais ou seja, carboidratos complexos, também irá causar cárie?

RAMSSÉS:

As bactérias cariogênicas conseguem metabolizar praticamente todos os tipos de carboidratos, principalmente os complexos. É através da fermentação destes sacarídeos e posterior liberação de ácidos (ácido lático) neste processo que a parede dentária começa a ser afetada. As bactérias reúnem-se em forma de colônias, principalmente as do Gênero Estreptococos e Estafilococos, formando o chamado Biofilme, que consegue aderir à parede do dente, iniciando a lesão.

Janaína - Sei que existem vários tipos de adoçantes, há os que causam e os que não causam cáries?

RAMSSÉS:

Como já foi dito, um fator isolado não é suficiente para causar a cárie; é uma doença onde vários fatores atuam em conjunto para o início do processo. E, como também já foi dito, os adoçantes artificiais (como o aspartame) não fazem parte da cadeia alimentar das bactérias da cárie, que são apreciadoras de carboidratos como a sacarose para a sua sobrevivência. Os adoçantes são metabolizados de outra forma por estas bactérias e não implicam em risco considerável.

Monalisa - Se eu fizer a higiene bucal, no final do dia mesmo assim aparecerá? Ou é necessário mesmo após cada refeição? Não tenho tempo rs Bjos

RAMSSÉS:

É necessária a escovação após as refeições sim. A composição da pasta dental (flúor, aglutinantes, abrasivos, etc.) tem que ser periodicamente colocada em contato com a superfície dental para que venha a surtir o efeito desejado na prevenção da doença. Mas o mais importante talvez seja a técnica da higienização; uma pessoa que escove 5 vezes ao dia de forma incorreta e insuficiente, talvez tenha mais risco de adquirir a doença do que quem escove 2 vezes de forma correta. Existem diversas técnicas, inclusive difundidas através da Literatura, pela internet.

Juraciara - Eu uso aparelho, no inicio eu tinha hábito de no final de casa refeição escovar direitinho, mas agora estou meio desleixada, até porque com aparelho é mais complicado limpar, você acha que quando eu tirar terei muitas cáries?

RAMSSÉS:

Fatalmente. O aparelho ortodôntico cria superfícies onde facilmente as bactérias ficam aderidas e onde pode se originar, com a mesma facilidade, o processo carioso. Retome os antigos hábitos de higiene bucal e evite problemas futuros.

Bruno - Existem alimentos que podem minimizar o surgimento de cáries? Flws

RAMSSÉS:

Sim. Alimentos com pequenas quantidades ou livres de carboidratos (açúcar), que é a principal fonte de alimentação das bactérias causadoras da cárie. Carne, legumes e verduras são bons exemplos.

Não precisamos deixar simplesmente de ingerir carboidrato (até porque sem glicose não sobrevivemos), apenas diminuir a índices toleráveis sua ingestão.

Flávia - O tempo de escovação exerce algum efeito?

RAMSSÉS:

Sim. Como já foi respondido anteriormente, o tempo mínimo e, principalmente, a técnica correta de escovação, são fundamentais.

djowup - falar em fio dental, que eu saiba a natureza produz até um cordão que dá não sei aonde, mas que serviria como fio dental, mas além de maçãs e peras , ainda não descobri nada natural que limpa os dentes como uma bela escova...agora como os índios cuidavam de seus dentes, isso é mistério pra mim...

RAMSSÉS:

Os indígenas sempre tiveram suas técnicas de higienização bucal e arte dentária. Medicina natural sempre foi utilizada por eles para anular possíveis sensações dolorosas ou mesmo como forma de prevenir doenças bucais ou aromatização oral.

A arqueologia mostra crânios de indígenas com dentes bem implantados e com poucas cáries, sinal de que cuidavam bem dos dentes. O desgaste sim é bem acentuado nestes achados, justificado pela dieta rica em alimentos duros e abrasivos.

“A tribo kuikuro, do norte do Mato Grosso, preenchia cavidades dentárias com resina de jatobá aquecida, que cauterizava a polpa e funcionava como uma obturação, depois de endurecida.”


Um comentário:

Patricia disse...

Obrigado por responder minha pergunta! Suas informações foram muito úteis! Parabéns